Dentes de leite e permanentes!

Semana passada uma amiga me ligou muito preocupada, pois em dois dias “caíram” três dentes do filho de dez anos. Me perguntou se era normal e o que ela tinha que fazer. Eu respondi que sim, e que ela só tinha que aguardar “cair” mais nove dentes!

Parece uma loucura, mas é assim mesmo! Doze dentes são trocados nesta fase.

A troca da dentição, ainda assusta muitas mães.

Os dentes começam a nascer quando o bebê tem por volta de seis meses. Essa é só uma média, pode acontecer antes, inclusive existem bebês que já nascem com dentes, mas essa é outra história, e o primeiro dente pode nascer bem depois sem que isso seja realmente um problema.

A sequência de erupção ocorre com mais frequência na seguinte ordem, para as arcadas superior e inferior, em ambos os lados, direito e esquerdo: incisivos centrais, incisivos laterais, primeiro molares, caninos e segundo molares, quando a dentição de “leite” se completa. Isso ocorrerá entre 24 e 30 meses de idade, com 20 dentes erupcionados.

Meu filho mais velho com um ano já tinha a dentição de “leite” completa, e tudo bem!

Por volta dos seis anos, nascem no fim de cada arcada, superior e inferior (do lado direito e esquerdo) os primeiros dentes permanentes. Isso não é uma troca! Não “cai” nenhum dente de leite na região; os primeiros molares permanentes nascem atrás dos últimos dentes de leite existentes em cada arcada.

Os pais devem estar atentos, pois a criança, por vezes, não se da conta do nascimento desses dentes e não os higieniza a contento.

Um pouco depois, ou quase ao mesmo tempo, vem a troca (dentes de leite pelos permanentes) dos incisivos centrais e laterais, tanto superiores como inferiores. São os dentes da frente e esta é a fase das “janelinhas”.

Os dentes permanentes que nascem na frente são bem maiores que seus antecessores e, frequentemente, nascem “tortos”, por falta de espaço, o que é normal nessa fase. Com o crescimento das arcadas, que também ocorre nessa idade, os dentes devem encaixar normalmente. É claro que nem sempre isso acontece, mas só um profissional poderá avaliar.

Agora (aos seis anos) a criança possui 24 dentes, sendo que 12 são permanentes, os quatro que nasceram no fundo e os oito que foram trocados na frente.

Por mais ou menos uns quatro anos, vai ficar assim.

Por volta dos dez anos os 12 dentes de “leite” restantes serão trocados por permanentes num espaço de tempo muito curto. É uma “chuva” de dente de leite. Daí a preocupação de muitos pais nesta etapa.

Por volta dos doze anos nasce mais um dente atrás dos últimos existentes, são os segundos molares permanentes, ficando a criança com 28 dentes.

E somente bem depois, por volta dos dezoito anos nasce mais um dente no fim de cada arcada, os terceiros molares permanentes (dentes do “ciso”) completando a dentição permanente com 32 dentes.


Fonte da ilustração: Google

Share on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestPrint this pageEmail this to someone